Turismo

Agustín Canapino ganha a Corrida das Estrelas da Porsche Cup em automobilismo virtual

Piloto argentino supera Felipe Baptista por 0s3 em Interlagos, com Marcio Campos em terceiro

Vitória de Agustín Canapino Porsche Cup

A primeira Corrida das Estrelas da Porsche Cup em automobilismo virtual ficou com o argentino Agustín Canapino, depois de uma formidável disputa com Felipe Baptista e Marcio Campos.

O trio se destacou desde o quali, com Campos na pole, Canapino em segundo e Baptista classificando em quinto. Na primeira bateria a vitória foi do gaúcho, com o “hermano” em segundo e o mais jovem vencedor de uma corrida de Gran Turismo em terceiro.

Na corrida final, valeu a experiência de Canapino. Ele foi estratégico e obrigou Campos a desgastar seus pneus defendendo a liderança. Deu o bote no fim da reta e seguiu forte até o final. Baptista se beneficiou da disputa e avançou para segundo lugar. Na última volta ainda esteve bem próximo do argentino, mas sem reais condições de atacar pela vitória.

Canapino, Campos e Baptista disputam a vitória Porsche Cup

Foi um desfecho memorável, para a primeira edição da Corrida das Estrelas da Porsche Cup.

Movimentado do início ao fim, o evento reuniu 39 pilotos de 18 categorias diferentes. Competiram pilotos com passagem pela F1, título do mundo na Fórmula E, vitória na Indy 500, vitórias na Stock Car, participação no WEC, kart, Stock Car Light, Turismo Nacional e até  motociclismo -além obviamente de especialistas da Porsche Cup.

Houve incidentes nas duas largadas, embaralhando o pelotão e deixando grandes nomes pelo caminho. Nelsinho Piquet, por exemplo, foi coletado em incidentes em ambas as largadas. Miguel Paludo foi atingido na segunda, assim como a dupla Guilherme Salas e Leo Lamelas -os maiores escaladores da corrida 1, respectivamente com 27 e 12 posições conquistadas. Todos eles viram suas chances de vitória acabar na partida da corrida final.

Marcio Campos puxa o pelotão Porsche Cup

Com a vitória na Corrida das Estrelas, Canapino conquistou um relógio da Porsche Design como prêmio, em kit que inclui uma miniatura do icônico Porsche 911.

O evento foi a avant-première da temporada 2020 de automobilismo virtual da Porsche Cup, sempre em promoção conjunta com a Porsche Brasil e realização do IRB eSports na plataforma iRacing.

O campeonato deste ano terá duas categorias e seis etapas. Como em 2019, os destaques terão premiação no pódio da Porsche Cup e experiência nos carros de competição mais produzidos no planeta.

As corridas

Knockout race

Largada turbulenta em Interlagos: vários carros rodaram e se envolveram em acidente no final da primeira reta. Entre os que ficaram pelo caminho estavam Tony Kanaan e Matheus Leist, ambos companheiros de equipe na Fórmula Indy em 2019 e Marcelo Battistuzzi. Os três pilotos abandonaram a prova após o incidente.

O panorama da corrida mudou completamente após a primeira passagem no S do Senna, Guilherme Salas, que largou da trigésima quinta colocação sobreviveu a confusão da largada e nas primeiras voltas conquistou um total 19 posições. Salas foi um dos destaques positivos da primeira bateria. Com uma corrida impecável de recuperação, conquistou ao todo impressionantes 27 colocações terminando em 8º lugar.

Segundo piloto que mais acumulou ultrapassagens foi Léo Lamelas. Foram 12 ultrapassagens, o que deixou o piloto em 9º lugar.

Na frente, a corrida foi tranquila para os líderes Marcio Campos e Agustin Canapino. Ambos mantiveram as duas primeiras colocações durante toda a prova. Campos terminou com diferença de 1s494 para Canapino. Felipe Baptista, que largou em 5º, completou o pódio da bateria classificatória. Arthur Leist e Edson Coelho completaram o top 5 da primeira largada.

Beto Monteiro, Kiko Porto e Gaetano di Mauro também tiveram destaque, envolvidos em inúmeras disputas por posição -assim como Nathan Brito e Pedro Bürger.

A disputa pelo trigésimo lugar e consequentemente a última vaga na corrida final virou uma batalha de sobrevivência entre competidores que foram obrigados a passar pelos pits. Piquet e JP Mauro passaram metade da prova fora, uma volta atrás nos líderes. Mas acabaram favorecidos pelos abandonos de Lucas Foresti e Pedro Aguiar e asseguraram vagas na última fila do grid da Corrida das Estrelas.

Corrida das Estrelas

Como na bateria anterior, a prova começou com confusão na reta dos boxes, inclusive com um capotamento que prejudicou Salas e Lamelas. O reflexo foi sentido mais para o fundo do grid, com Miguel Paludo, Piquet, JP Mauro e Rafael Martins atingidos. Todos ficaram de fora da prova depois do ocorrido.

Os líderes saíram intactos, mas mudanças de posição aconteceram em posições do meio do grid. Quem se aproveitou do tumulto foi Gaetano Di Mauro, que colecionou ultrapassagens nas primeiras voltas da prova: foram 10.

Ainda no primeiro terço de prova, houve troca na liderança: Canapino ultrapassou Marcio Campos no início da reta oposta e assumiu a ponta da prova.

Boas disputas por posição aconteceram durante os 30 minutos da etapa, os três primeiros colocados chegaram a ficar com diferença inferior entre 1 segundo entre Canapino que era líder e Baptista que vinha na terceira colocação. O trio abriu boa distância do resto dos competidores, a briga pela liderança ficou acirrada até os instantes finais.

Uma atravessada na freada custou a segunda posição a Marcio Campos, Felipe Batista aproveitou e foi à caça do líder. Caça que durou até a última curva, Canapino e Baptista duelaram até a bandeirada. Se desse uma brecha, o argentino perderia a vitória para o adolescente. Mas ele foi preciso até o final e conseguiu a vitória por uma diferença de apenas 0.3 segundos. Marcio Campos completou o pódio.

Di Mauro continuou sua escalada de 13 posições ao todo e terminou em quinto, depois de belas disputas com Gabriel Bortoleto e Nathan Brito. Edson Coelho fez uma prova limpa e recebeu a bandeirada na quarta posição, a mesma em que havia largado.

O que eles disseram:

“Parabéns tanto para Marcio quanto Baptista. Foram duas grandes corridas e terminei completamente suado aqui. Foram as duas provas muito intensas e foi bem difícil. Estou muito feliz de ganhar essa corrida. Está de parabéns a Porsche pelo evento. É incrível correr e vencer em Interlagos.”

Agustín Canapino

“Na primeira corrida não consegui acompanhar os dois. Na segunda acho que eles gastaram mais pneu e eu vim economizando. No fim tentei chegar e achava que daria para passar. Poderia ter tentado no Bico de Pato na volta final, mas seria muito arriscado e achei melhor terminar com segurança. Quero agradecer ao Georgios Frangulis, que estou usando a pintura do carro real dele com as cores da Oakberry.”

Felipe Baptista

“Fiz a corrida 1 muito boa, foi a corrida perfeita e vim muito forte. Na segunda subiu a temperatura e o Canapino começou a me atacar, então foi esquentando meus pneus. Baptista chegou e estava mais rápido. Acho que fiz muito overdriving tentando defender a ponta e faltou pneus no final. Quero agradecer a Porsche e minha equipe no virtual. Estão de parabéns tanto o Felipe quanto o Canapino. Foi uma corrida muito legal.”

Marcio Campos

Corrida das Estrelas

  1. Agustín Canapino
  2. Felipe Baptista
  3. Marcio Campos
  4. Edson Coelho
  5. Gaetano di Mauro
  6. Gabriel Bortoleto
  7. Nathan Brito
  8. Pedro Bürger
  9. Pedro Cardoso
  10. Vitor Genz
  11. Artur Leist
  12. Lukas Moraes
  13. Ike Ramos
  14. Beto Monteiro
  15. Raphael Reis
  16. Guilherme Carettoni
  17. Adilson Junior
  18. Theo Manna
  19. Eloi Khouri
  20. Lucas Salles
  21. Gabriel Lusquiños
  22. Kiko Porto
  23. Gabriel Gomez
  24. Vinicius Azevedo
  25. Miguel Paludo
  26. Nelson Piquet Jr
  27. Guilherme Salas
  28. Rafael Martins
  29. Leo Lamelas
  30. JP Mauro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *