F-Indy Últimas Notícias

Indy: AEROSCREEN PASSA NO TESTE FINAL DE 2019 EM SEBRING

SEBRING, Flórida – A INDYCAR continuou seu programa de desenvolvimento do Aeroscreen nesta terça-feira no Sebring International Raceway com as equipes Arrow McLaren SP e Dale Coyne Racing com Vasser-Sullivan participando da quarta e última sessão de testes do ano.

Foto Internet/Divulgação

 As condições para o teste de apenas um dia poderiam ser descritas como ideais para testar a inovação em segurança, com o clima quente e úmido fora de época, como as equipes da NTT IndyCar Series enfrentarão durante o trecho de verão e a pista estava previsivelmente irregular ao replicar uma pista de rua.

Em meio a tudo isso, o Aeroscreen, programado para sua estreia na corrida de São Petersburgo, nos dias 13 e 15 de março de 2020, no estado americano da Flórida, apresentou o que foi projetado mais uma vez.

“E checamos as caixas com os pilotos que ainda não haviam experimentado o Aeroscreen”, disse Bill Pappas, vice-presidente de competição e engenharia da INDYCAR.

Foto Internet/Divulgação

O bicampeão da Indy Sebastien Bourdais, da Dale Coyne Racing, com Vasser-Sullivan, Patricio O’Ward, da Arrow McLaren SP e Santino Ferrucci, da Dale Coyne Racing, que utilizaram o carro de Bourdais na sessão, formaram o último grupo de pilotos da NTT IndyCar que tiveram a oportunidade de testar o Aeroscreen.

O clima quente da Flórida permitiu experimentar várias opções de resfriamento do motorista e validar ainda mais o mecanismo anti-embaciamento. Bourdais, que usa óculos, não teve problemas de visibilidade em sua primeira experiência com o Aeroscreen. O’Ward, em sua primeira experiência na pista com Arrow McLaren SP, também se adaptou rapidamente ao novo ambiente do cockpit. Ferrucci não teve problemas ao dirigir o carro de Bourdais.

 Pappas disse que a INDYCAR e seus fornecedores estão dentro do cronograma de entrega de Aeroscreens para todas as equipes que farão a temporada completa no próximo mês, à medida que a preparação se inicia para o Firestone Grand Prix de São Petersburgo. O Aeroscreen foi anunciado em maio e desenvolvido pela Red Bull Advanced Technologies em conjunto com a INDYCAR.

Foto Internet/Divulgação

 Arrow McLaren SP e Dale Coyne Racing com Vasser-Sullivan se tornaram a quarta e quinta equipes a trabalhar com o Aeroscreen. Chip Ganassi Racing, Team Penske e Andretti Autosport participaram de testes no mês passado realizados em Indianapolis Motor Speedway, Barber Motorsports Park e Richmond Raceway. Scott Dixon, da Chip Ganassi Racing, e Will Power, da Team Penske, participaram do teste no IMS; Ryan Hunter-Reay da Andretti Autosport e Simon Pagenaud da Team Penske testaram no Barber; e Josef Newgarden da Equipe Penske e Dixon cuidaram de Richmond.

Esses testes foram projetados para replicar as várias condições que os concorrentes enfrentarão durante a temporada de 17 corridas. O IMS é o oval maior (2,5 milhas) e mais rápido do cronograma, enquanto o layout Richmond de 0,75 milhas é a mais curta das cinco pistas ovais. O Barber Motorsports Park é um circuito permanente, como a INDYCAR utilizará em sete ocasiões no próximo ano, e haverá cinco corridas de rua onde os solavancos semelhantes a Sebring devem ser percorridos.

Foto Internet/Divulgação

Em consulta com os pilotos, a INDYCAR oferecerá opções de refrigeração padrão em cada local, a fim de manter o nível do campeonato.

“Essas serão áreas com partes específicas”, disse Pappas. “As equipes não terão liberdade para desenvolver seus próprios dutos.”

Bourdais disse que a utilização de um duto de capacete provavelmente será a melhor opção para dias particularmente quentes.

“É descobrir qual é a melhor opção (refrigeração)”, disse ele. “Mas não é nada com o que não possamos trabalhar.”

Foto Internet/Divulgação

 “Nas corridas, passamos por trechos com detritos, principalmente em speedways e superspeedways, então acho que esse é um passo gigantesco (em proteção). É um lugar muito mais seguro para nós, pilotos da IndyCar – acho que todos estão satisfeitos com isso.”

 Os pilotos disseram que demorou muito pouco tempo para se acostumar.

 “Você mal pode dizer que o Aeroscreen está lá porque é bem clara”, disse O’Ward. “Obviamente, é um pouco mais fechado, mas você vê tudo o que costuma ver. Os olhos meio que olham ao redor do halo interno, para que você não perceba. Quando você está acelerando, você realmente não vê a Aeroscreen.”

Por Curt Cavin | Publicado em 5 de novembro de, 2019 no site https://www.indycar.com/News/2019/11/11-05-Aeroscreen-Sebring e traduzido por Planeta Velocidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *