Nas- Últimas Notícias

NASCAR – Daytona é palco da primeira vitória de Michael Annett pela Xfinity Series.

  •  
  •  

Depois de uma corrida agressiva como se viu na Truck Series, chegou a vez dos carros da Xfinity Series, segunda principal categoria da NASCAR, entrar na pista para uma disputa de 120 voltas no tradicionalíssimo super oval de Daytona, localizado no estado norte americano da Flórida.

Esta prova marcou a estreia do novo modelo da Toyota, o Supra que, na pista, se mostrou bem mais bonito do que se esperava após a sua apresentação por parte da montadora.

Um incidente lamentável ficou por conta do destino que se esperava nesta temporada para o piloto Ross Chastain.

Depois da exibição dada por Chastain na temporada passada, nas poucas provas em que teve a oportunidade de correr com um carro realmente competitivo da equipe de Chip Ganassi, apresentou excelentes resultados e conquistou sua primeira vitória na NASCAR, como foi noticiado aqui no PLANETA VELOCIDADE e que pode ser revisto através do link XFINITY SERIES – ROSS CHASTAIN CONQUISTA SUA PRIMEIRA VITÓRIA NA NASCAR NO OVAL DE LAS VEGAS.

Assim, depois de grande negociação e com o patrocínio da DC Solar, restou acertado que Chastain correria a temporada de 2019 de forma integral, a bordo do carro número 42 da equipe Ganassi que o levou a primeira vitória na categoria.

Contudo, devido a problemas tributários com a DC Solar, cerca de 20 agentes do FBI invadiram não só a sede da empresa, como também a residência de Jeff e Paulette Carpoff, proprietários da mesma, realizando escolta de funcionários, a apreensão de veículos e de objetos que estavam nos locais.

Pouco depois disso, a parceria se rompeu e a equipe Chip Ganassi entendeu por bem encerrar suas atividades na Xfinity Series.

Em que pese a lamentável situação de ter ficado sem carro para esta temporada, Chastain acabou assinando contrato com a equipe Kaulig Racing, e passou a guiar o carro nº 10 nesta categoria.

Voltando a Daytona, o pole position para esta etapa foi o atual campeão Tyler Redick (2) que, punido devido a uma troca de pneus não autorizada antes da largada, teve que partir da última fila, deixando a posição de honra para Jeffrey Earnhatdt (18).

Com um início de prova bem tranquilo, Justin Halley (11), depois de uma bela manobra, cruza na frente a linha de chegada e vence o primeiro segmento.

Da mesma forma, sem bandeiras amarelas, Ross Chastain (10) domina e vence o segundo estágio da competição.

As amarelas só vieram após Brad Keselowski, piloto da Monster Cup ter problemas na escotilha de escape do teto de seu carro n° 12 e, ainda, quando Ray Black Jr perdeu o controle de seu carro.

Enquanto isso, o líder da prova era ninguém menos do que Michael Annett (1) que, nesta prova já havia liderado mais voltas do que em toda sua carreira de 9 anos e 230 etapas.

De casa nova e ocupando a vaga deixada pela aposentadoria de Eliot Sadler na equipe JR Motorsports, Annett não deixa a oportunidade passar e recebe na frente a bandeira quadriculada, conquistando sua primeira vitória na NASCAR.

Em segundo lugar chegou o piloto veterano Justin Allgaier (7) e, em terceiro, recebeu a quadriculada Brandon Jones (19).

Com um estilo de prova absolutamente diferente daquela que fizeram os pilotos da Truck Series no dia anterior, o que se viu nesta primeira etapa da Xfinity foi uma linda repetição do que também havia acontecido no ano passado, com Ross Chastain, como acima mencionado.

Michael Annett, veterano da NASCAR e a quem estávamos acostumados a ver andando sempre no final do pelotão, aos quais conhecemos como underdogs, depois de muita luta e perseverança, conquistou finalmente uma vaga em uma equipe de ponta, a JR Motorsports, e fazendo o dever de casa como manda o figurino, não só dominou o terceiro segmento da prova, como também a venceu em sua corrida de estreia pelo time.

Aliás, as atuações dos participantes da Xfinity foram tão expressivas que conseguiram apagar os dois pilotos da Monster Cup que ali estavam, quais sejam, Brad Keselowski (12) e Chase Elliott (8).

Isso nos deixa clara a lição de que nem sempre aqueles que largam do final do grid e que ocupam, via de regra, posições pouco expressivas na pista o fazem por falta de garra ou de talento.

Relembro que, em que pese algumas provas em Daytona serem uma verdadeira loteria, por conta dos vários acidentes que nela costumam acontecer, repito que este prova, em específico, não teve big ones e, assim, fica bem claro para todos que a vitória de Annett veio de seu talento e, por óbvio, da oportunidade de finalmente ter um equipamento competitivo.

Lembro que, por trás da história da primeira vitória de qualquer piloto existe um passado de muito trabalho, privações, frustrações, derrotas, mágoas, decepções, persistências e cansaço.

O caminho até o victory Lane é esburacado, escorregadio, sinuoso, íngreme e longo, mas ao levantar o troféu no lugar mais alto todos os suores e as lágrimas derramadas certamente valeram a pena.

O sol brilhou para Michael Annett na primeira prova da temporada e promete brilhar também para outros. Só nos resta continuar ligados na NASCAR e aqui no PLANETA VELOCIDADE.

A próxima etapa da Xfinity Séries será no dia 23/02, no circuito oval de 1,5 milhas de Atlanta, no estado da Geórgia.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira
Twitter: @alexleonello
Fonte: Divulgação/Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *