Nas- Últimas Notícias

NASCAR Monster Cup – Bristol – Três vezes Kyle Busch.

  •  
  •  

A oitava etapa da Monster Energy Cup Series, principal categoria da NASCAR e do automobilismo norte-americano como um todo, realizou-se no majestoso coliseu de Bristol, um curtíssimo oval de apenas 0,5 milha de extensão e que se localiza no estado do Tennessee, orgulhando-se de ser a meia milha mais rápida do mundo.

Mostrando novamente uma certa reação da Chevrolet, o jovem e talentoso piloto do carro nº 9, Chase Elliott cravou a pole position para esta etapa e partiu da posição de honra do grid de largada.

Pano verde agitado para nada menos do que 500 voltas no coliseu!

Logo no início da prova, um acidente envolveu os pilotos Aric Almirola (10), Rick Stenhouse Jr. (17) e Kyle Busch (18), causando a primeira bandeira amarela.

Elliott mantinha bem a liderança da prova, até se envolver em um toque com Ryan Preece (47), rodar na pista e provocar mais uma amarela.

Ryan Blaney chegou a liderar a prova, mas, com tudo isso, e por conta de estratégias e pit stops, Ty Dillon (13) e Clint Bowyer (14) travaram um duelo emocionante pela primeira colocação, cruzando muito próximos a linha de chegada do primeiro segmento que, ao fim, foi conquistado por Dillon e seu Chevrolet Camaro.

Joey Logano (22) e Brad Keselowski (2), ambos da equipe Penske, travaram uma forte disputa pela liderança da prova no segundo estágio da competição que, ao final, acabou mesmo sendo vencido por Logano.

Kyle Busch vinha recuperando rapidamente o terreno e o tempo perdido por conta do acidente sofrido no início da prova e já estava entre os 10 primeiros.

Kyle Larson (42) e William Byron (24) se envolvem em um acidente e, mais uma vez, obrigam o acionamento da bandeira amarela no circuito.

Logano e keselowski vinham muito forte, disputando entre si a liderança e dando a entender que a conquista da vitória da prova seria mesmo de um deles.

Mas a NASCAR é uma caixinha de surpresas…

Quase no final da prova, Kyle Larson (42) vai para o muro e, por conta disso, outra bandeira amarela é acionada no circuito, levando vários pilotos a buscar novamente os boxes para troca de pneus e reabastecimento.

Contudo, Kyle Busch, inovando na estratégia e arriscando tudo, permanece na pista e assume a liderança da corrida.

Suportando bem a relargada, Kyle Busch se mantém na frente, sendo seguido de perto por seu irmão, Kurt Busch (1)

Depois de todos os percalços pelos quais passou na prova, em uma recuperação incrível e digna das provas da NASCAR, Kyle Busch (18) cruza na frente a linha de chegada com o seu Toyota Camry da equipe de Joe Gibbs e vence a etapa de Bristol.

Na segunda colocação completou seu irmão, também campeão e piloto do Chevrolet Camaro nº 1 da equipe Ganassi, Kurt Busch e, em terceiro concluiu a prova Joey Logano (22), com seu Ford Mustang do time de Roger Penske.

Kyle Busch já soma nada menos do que 3 vitórias no campeonato e é o único a conquistar tal feito até então nesta temporada.

Ao final, houve até uma bela comemoração dos irmãos Busch pela dobradinha obtida na pista.

Como já mencionado anteriormente, a hegemonia das equipes Penske e Joe Gibbs permanece inalterada, visto que ambas conquistaram todas as etapas disputadas até então.

Como diz o ditado, se um piloto chega com seu carro inteiro após disputar as 1.000 curvas da prova é porque não andou bem em Bristol.

Assim, os verdadeiros gladiadores voltaram para as garagens com o que restou de seus carros após a luta.

OPINIÃO:

Com a bandeira quadriculada agitada no Coliseu de Bristol, 1/4 da fase regular da NASCAR já havia sido completada e, sendo assim, já nos é possível fazer uma análise do que foi até agora o campeonato de pilotos.

Fora de suas características, o que vemos é um domínio muito grande de apenas duas equipes, quais sejam, Penske e Joe Gibbs, onde apenas 2 pilotos de cada uma delas conquistaram vitórias até então nesta temporada, sendo Kyle Busch com 3, Danny Hamlin (ambos da Joe Gibbs) e Brad keselowski com 2 e Joey Logano com 1 (da equipe Penske).

Assim como foi no ano passado, a Chevrolet vem tentando se desenvolver ao longo do campeonato e o nome que promete maiores resultados para esta temporada, assim como na anterior, é o do jovem e muito talentoso Chase Elliott, que inclusive cravou a pole position para esta etapa de Bristol.

Da mesma forma, o heptacampeão Jimmie Johnson já começa a aparecer com mais frequência entre o top 10 das corridas, o que demonstra certa evolução do Camaro.

Nunca é demais lembrar que Jimmie Johnson, pelo seu retrospecto, nunca é carta fora do baralho e é um piloto do qual não podemos jamais duvidar, tanto é que já conquistou nada menos do que 7 títulos da categoria, sendo que o último deles foi ainda no ano de 2016.

Contudo, causa estranheza o fato da equipe Stewart Haas Racing ainda não ter obtido grandes resultados neste início de temporada, mesmo tendo sido dominante no ano passado, onde conquistou vitórias com nada menos do que todos os seus pilotos (Kevin Harvick, Aric Almirola, Clint Bowyer e Kurt Busch), principalmente com Kevin Harvick.

Até o presente momento, o placar de vitórias ainda tem a Toyota na liderança, com 5 triunfos da Gibbs, a Ford com 3, todas na Penske e, como dito, a Chevrolet ainda sem nenhuma conquista nesta temporada.

Sabe-se que a obtenção de vitórias por apenas 2 equipes não é algo típico da NASCAR e causa preocupação aos fãs, espectadores e principalmente aos pilotos que, devido a seus equipamentos não estão conseguindo acompanhar o ritmo dos demais.

Aliás, não existe paz nem mesmo entre os pilotos que se utilizam dos motores Toyota, uma vez que Erik Jones faz uma temporada apagada, assim como seu companheiro de Gibbs, o campeão Martin Truex Jr., de quem muito se esperava por conta dos resultados que obtinha na pequena e extinta Furniture Row até o ano passado.

Vale dizer, sem receio de errar, que Christopher Bell, vencedor do final de semana pela Xfinity Series neste mesmo oval de Bristol,  já está maduro o suficiente para assumir um cockpit na Monster Cup e, como pupilo de kyle Busch que é, as chances e ocupar uma vaga na Gibbs, ou em uma equipe satélite são gigantescas.

Assim, quem acelerar menos nesta temporada pode perder o posto no ano que vem para este jovem talento.

Contudo, observando tudo isso por cima de um pedestal e com a mais absoluta tranquilidade, temos Kyle Busch, com futuro garantido e alheio a todos os problemas e preocupações vividas pela maioria dos pilotos em atividade.

Com 3 conquistas neste ano, o irmão mais novo da família Busch, além de garantido nos playoffs, está demonstrando uma maturidade ímpar e, ainda por cima, vem se tornando cada vez mais técnico e paciente, a ponto de se recuperar de um acidente sofrido ainda no início da prova, para vencer com louvor ao final dela.

Os que amam e os que odeiam Kyle Busch, pela sua forma de ser e de agir fora das pistas, a esta hora devem ter um consenso de que o mesmo se tornou um piloto completo e hoje, a esta altura do campeonato, é o homem a ser batido nas pistas.

A próxima etapa da Monster Energy NASCAR Cup Series acontecerá no dia 13/04, no circuito oval de ¾ de milha de Richmond, no estado da Virginia.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira

Twitter: @alexleonello

Fonte: Divulgação/Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *