Nas- Últimas Notícias

NASCAR Xfinity Series – Cole Custer fatura a milha monstro e põe fim ao round of 12 playoffs!

  •  
  •  

No intuito de realizar a terceira e última etapa válida pelo round of 12 da segunda principal categoria da NASCAR, a Xfinity Series, no último dia 05/10 levou seus pilotos para nada menos que 200 voltas no oval de 1 milha de extensão em Dover, localizado no estado norte americano do Delaware e que é também conhecido como monster mile (milha monstro).

Era sabido que, ao final desta etapa, quatro pilotos finalistas dariam adeus às suas chances de disputar o título da categoria nesta temporada, o que, diga-se de passagem, não era problema apenas para Christopher Bell (20) e Cole Custer (00), que já estavam automaticamente classificados para o rounf of 8 por vitória e por pontos, respectivamente.

O mais rápido nos treinos classificatórios do final de semana foi o piloto do Ford Mustang nº 98 Chase Briscoe que, ao menos de início, havia faturado a pole position para esta etapa.

Contudo, por ter sofrido problemas elétricos após a classificação o que obrigou sua equipe a proceder a troca de toda a fiação existente em seu carro já estando este dentro do parque fechado, Briscoe foi punido e obrigado a partir do último posto.

Assim sendo, Austin Cindric (22), piloto de outro Ford Mustang, mas com o numeral 22, conquistou o direito de largar na posição de honra do grid.

Fonte: Divulgação/Internet

Tão logo a bandeira verde restou agitada na pista, ficou bem claro que a prova não havia começado bem para a equipe de Joe Gibbs, quando Harrison Burton (18) e Brendan Jones (19) se encontram na pista e provocam a primeira bandeira amarela na volta 1.

Fonte: Divulgação/Internet

Com isso, Brendan Jones passa a ser o primeiro finalista eliminado no round of 12, dando certo alívio aos demais.

Fonte: Divulgação/Internet

Cindric se manteve na ponta após a relargada e mais um carro da Gibbs é obrigado a buscar as garagens quando Christopher Bell (20) sofre com problemas na pressão de combustível de seu Toyota Supra.

Fonte: Divulgação/Internet

Depois de sofrer um toque de John Hunter Nemecheck (23) – que buscava recuperar as chances de classificação – Mike Harmon (74) roda na pista e causa nova amarela.

Fonte: Divulgação/Internet

Justin Allgaier (7) ultrapassa Cindric e assume a liderança após a relargada, mantendo sua posição até cruzar na frente a linha de meta e vencer o primeiro segmento da competição.

Allgaier relarga na primeira colocação e consegue sustentar sua posição.

Depois de uma segunda parte tranquila e sem bandeiras amarelas, Allgaier não foi ameaçado na pista e, sob esta condição, vence também o segundo estágio da prova.

Austin Cindric relarga na frente, mas logo é ultrapassado por Chase Briscoe (98), que vinha em uma excelente corrida de recuperação e abria uma confortável vantagem para o demais.

Restando apenas 30 voltas para o final acontecia o ciclo de paradas nos boxes em bandeira verde.

Uma nova bandeira amarela é acionada depois que Dillon Bassett (90) perde o controle do carro na entrada dos boxes e roda na pista.

Fonte: Divulgação/Internet

A relargada foi dada enquanto restavam apenas voltas para o final da corrida, e o líder da prova agora era Cole Custer (00).

Fonte: Divulgação/Internet

Um acidente envolvendo os pilotos Matt Mills (5), Stephen Leicht (01) e Ray Black Jr. (07) provoca a necessidade de mais uma intervenção na pista, enquanto restavam apenas 13 voltas para o final.

Fonte: Divulgação/Internet

Em que pese a forte pressão exercida pelos pilotos Justin Allgaier (7) e Justin Halley (11), Cole Custer (00) se sustenta na frente para vencer a etapa de Dover da Xfinity Series e avançar nos playoffs.

Fonte: Divulgação/Internet

Na segunda colocação cruzou a linha de chegada o veterano Justin Allgaier (7) e, em terceiro, completou o top 3 desta etapa o piloto Austin Cindic (22).

Fonte: Divulgação/Internet

OPINIÃO

“Depois da “onda de choque” que derrubou quase que de uma única vez os 3 carros da equipe de Joe Gibbs, ainda no início da disputa, tudo parecia conspirar para a primeira vitória da temporada do veterano Justin Allgaier.

Mas como quase nada é o que parece na NASCAR e o favoritismo não se resume a alguns poucos pilotos, as coisas mudaram no terceiro segmento e Cole Custer, em situação de profunda maturidade profissional, acabou recebendo na frente a quadriculada que lhe deu mais uma vitória no ano (a sétima, para ser mais exato) muito embora o mesmo já estivesse matematicamente garantido para o round of 8 da categoria nos playoffs.

Surge então o pensamento de que, depois das confirmações de que Christopher Bell e Tyler Reddick já estarão competindo pela principal categoria na NASCAR, a Monster Cup, já a partir da próxima temporada, pelas equipes Leavine Family e Richard Childress, respectivamente, surge então a curiosidade e o interesse para saber onde, quando e como esta mesma evolução natural ocorrerá para o vencedor desta etapa, Cole Custer.

Os boatos iniciais eram o de que o mesmo poderia suceder, na própria Stewart-Haas Racing, os pilotos Clint Bowyer ou Daniel Suarez, já na temporada de 2020.

Mas a realidade é a de que o mexicano já renovou com a equipe e Bowyer ainda não definiu seu futuro com a mesma, em que pese ser amigo pessoal de seu chefe, o tricampeão Tony Stewart.

Uma parceria entre a SHR e outro time, semelhantes àquelas existentes entre Gibbs e Leavine Family ou Penske e Woody Brothers poderia ser uma saída, mas a questão é: Qual delas?

Custer é um talento que não pode e não deve ser desperdiçado, mas merece ter em mãos um carro competitivo, para que não sofra no final do pelotão e acabe se tornando um mero coadjuvante na Cup.

Nos resta apenas torcer e aguardar para ver mais essa fera em meio aos leões que rugem alto na Monster Energy NASCAR Cup Series.”

OPINIÃO Francisco Brasil

“Corrida movimentada mas quase sem surpresas com relação aos classificados. Jones até tinha equipamento para seguir, mas um escorregão lhe tirou uma vaga quase certa. Que gostou foi Michael Annett, que mais uma vez contou com a sorte e os problemas do #19 e do #23 de Nemecheck, que estava classificado em boa parte da corrida e, francamente, é mais piloto que Annett.

E que recuperação de Chase Briscoe?! Os problemas elétricos que jogaram o #98 pro fim do pelotão tornaram a aparecer durante a corrida. Com isso, Briscoe perdeu a referência de luzes no painel da velocidade nos pits – uma vez que a Nascar não tem limitador – e foi no feeling. Sabemos que a categoria é cercada de surpresas, mas Briscoe até aqui foi o piloto que realmente mostrou serviço para estar na final com o big 3 (Bell, Custer e Reddick). Agora é continuar consistente e ter um pouquinho de sorte.”

Fonte: Divulgação/Internet

PLAYOFFS

Com isso, restaram eliminados no Round of 12 foram John Hunter Nemecheck (23), Justin Haley (11), Ryan Sieg (39) e Brandon Jones (19).

Depois deste resultado, os pilotos que avançaram para o round of 12 dos playoffs da Xfinity Seriesforam os seguintes:

01 – Christopher Bell (20) – 3.062 pontos;

02 – Cole Custer (00) – 3.050 pontos;

03 – Tyler Redick (2) – 3.044 pontos;

04 – Austin Cindric (22) – 3.017 pontos;

05 – Justin Allgaier (7) – 3.014 pontos;

06 – Chase Briscoe (98) – 3.013 pontos;

07 – Michael Annett (1) – 3.009 pontos; e

08 – Noah Gragson (9) – 3.005 pontos.

Fonte: Divulgação/Internet

A próxima etapa dos playoffs da Xfinity Series será ocorrerá no dia 19/10, no circuito oval de 1,5 milhas de extensão do Kansas, no estado norte americano que lhe é homônimo.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira

Twitter: @alexleonello

Foto Apresentação Divulgação/Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *