Nas- Últimas Notícias

Retrospectiva NASCAR 2019 – Parte 3 (Richmond, Talladega, Dover e Kansas)

Oito etapas já haviam sido disputadas na temporada de 2019 da Monster Energy NASCAR Cup Series, principal categoria de automobilismo dos Estados Unidos, mas ainda havia muita coisa a ser decidida até o final do ano.

Nos termos do que já havíamos mencionado no texto anterior desta retrospectiva (parte 2), que pode ser acessada através do link RETROSPECTIVA NASCAR 2019 – PARTE 2 (FONTANA, MARTINSVILLE, TEXAS E BRISTOL) apenas duas equipes haviam conquistado vitórias neste campeonato, quais sejam, Joe Gibbs e Team Penske, sendo que, destas, 3 foram por Kyle Busch, 2 por Denny Hamlin e Brad Keselowski e 1 por Joey Logano.

Como o mundo não podia parar, o espetáculo da NASCAR partiu para o estado da Virginia, onde se reuniu para disputar sua 9ª etapa no oval de apenas ¾ de milha de Richmond.

As esperanças de que um novo piloto, de uma equipe diferente conquistasse a vitória desta etapa se reforçaram ainda mais com a conquista da pole position por parte do piloto nº 4 da equipe Stewart Haas Racing, o campeão Kevin Harvick.

Fonte: Divulgação/Internet

A má notícia chegou para nada menos do que 8 pilotos após o encerramento dos treinos classificatório, uma vez que os mesmos haviam falhado na inspeção e, sendo assim, estariam sendo obrigados a largar no final do pelotão.

Tais pilotos foram Erik Jones (20), Chase Elliott (9), Daniel Suarez (41), Jimmie Johnson (48), Aric Almirola (10), Denny Hamlin (11), Matt Tiftt (36) e Joey Gase (66).

Harvick até manteve a liderança logo após a largada, mas Kyle Busch (18) vinha escalando o pelotão e, ao final, conquistando com muita garra a vitória no primeiro estágio da competição.

Fonte: Divulgação/Internet

Com um furo de pneu, Kyle Larson (42), na volta 127, vai para o muro e provoca uma bandeira amarela, fazendo com que vários pilotos buscassem os boxes, inclusive o líder Kyle Busch, que excedeu o limite de velocidade e foi punido, sendo obrigado a relargar do final do pelotão.

Com isso, Martin Truex Jr. (19) apareceu na prova, assumiu a liderança e cruzou na frente a linha de chegada, vencendo o segundo segmento da prova.

Ainda na frente, Truex passou a receber uma grande pressão de Clint Bowyer (14) que, por sua vez e aos poucos, passou a perder terreno, até perder o segundo posto para Joey Logano (22).

Logano ainda veio para cima de Truex e, o que se viu nas voltas finais foi uma intensa disputa pela primeira posição, mesmo diante da realidade de que ambos estavam com seus pneus muito desgastados e a traseira de seus carros incrivelmente instáveis.

Em que pese a pressão do piloto do Ford Mustang nº 22 da equipe Penske, o campeão de 2017, Martin Truex Jr. vence pela primeira vez na equipe de Joe Gibbs e conquista seu primeiro triunfo nesta temporada de 2019, em Richmond.

Fonte: Divulgação/Internet

Em segundo lugar, muito próximo, chegou o atual campeão Joey Logano (22) e, em terceiro, concluiu o top 3 da prova Clint Bowyer (14).

Embora um novo piloto tivesse conquistado uma vitória nesta temporada, a realidade era a de que as equipes Penske e Joe Gibbs haviam dominado todas as provas, em uma situação nunca antes vista na história da NASCAR.

Com o feriado da Páscoa, a NASCAR tradicionalmente deu uma pausa nas corridas para as devidas comemorações.

Contudo, o intervalo de descanso para os pilotos e equipes foi breve, pois, já no dia 28/04 a próxima etapa do calendário aconteceria no místico, amado e tradicional superspeedway de 2,66 milhas de Talladega, no estado do Alabama, com 188 voltas programadas e nada menos do que 500 milhas de pura velocidade.

Vale lembrar que este é o maior circuito em extensão da categoria e, neste ano, era a primeira vez em que os carros entrariam na pista sem aquelas famosas placas restritoras, representando um ganho de potência de nada menos do que 100hp.

A posição de honra no grid de largada da prova foi conquistada pelo piloto do Chevrolet Camaro número 3, Austin Dillon.

Com a bandeira verde, Aric Almirola assume a liderança e, mas uma bandeira amarela aconteceu já no 11º giro, envolvendo os pilotos Kevin Harvick (4), Clint Bowyer (14), Denny Hamlin (11) e Bubba Wallace (43).

Fonte: Divulgação/Internet

Ainda assim, após várias trocas de liderança, a vitória do primeiro segmento ficou por conta de Ty Dillon (13)

Com problemas, o heptacampeão Jimmie Johnson (48), com problemas, vai para o muro.

Fonte: Divulgação/Internet

Ao fim, Chase Elliott (9) cruza na frente a linha de chegada e vence o segundo estágio da competição.

Em bandeira verde os pilotos se viram obrigados a efetuar suas paradas para reabastecimento e troca de pneus, onde vários contratempos começaram a ocorrer, não só com Erick Jones (20), como principalmente com Brad Keselowski (2), que perdeu o controle do carro na entrada dos pits e parou literalmente ao contrário na sua posição de pit.

Fonte: Divulgação/Internet

Restando apenas 7 voltas para o final, Joey Logano (22) liderava a prova, até que um forte acidente envolvendo os pilotos Chris Buescher (37), Justin Haley (77), Matt DiBenedetto (95), Martin Truex Jr. (19), paralisou a peova e trouxe consigo uma bandeira vermelha.

Fonte: Divulgação/Internet

Após a relargada, Chase Elliott (9) assume a liderança da prova e, tão logo foi aberta a última volta, um fortíssimo acidente envolvendo os carros de Jeffrey Earnhardt (81) e Kyle Larson (42) causou outra bandeira amarela.

Fonte: Divulgação/Internet

Pelas regras do overtime, após a bandeira branca ser acionada, qualquer eventual bandeira amarela que venha a existir neutraliza prova e a mesma termina sob tal condição.

Assim, em uma situação rara na NASCAR, o jovem Chase Elliott (9) e seu Chevrolet Camaro cruzam na frente a linha de chegada e, sob bandeira amarela, vencem a mística etapa de Talladega.

Fonte: Divulgação/Internet

Seu companheiro de equipe na Hendrick, Alex Bowman (88), chegou em segundo e, concluindo o top 3 da prova (e da chevrolet), Ryan Preece (47) chega na terceira colocação.

Com este desfecho, a Chevrolet não só conquistava a sua primeira vitória na temporada, como também uma equipe diferente da Penske e da Gibbs atingia a meta de um triunfo neste ano.

E não poderia ser melhor, uma vez que a Chevrolet conquistava não só a pole position para aquela etapa, como também venceu os dois segmentos da mesma e, ao fim, completou a corrida nas quatro primeiras posições.

Nestes termos, dando-se seguimento a disputa, a NASCAR seguiu direto para o estado do Delaware, a fim de que fosse disputada a sua 11ª etapa da fase regular na milha monstro de Dover.

Fonte: Divulgação/Internet

A pole position para esta etapa ficou por conta do piloto do próprio piloto Chase Elliott (9), vencedor da etapa anterior, demonstrando que a Chevrolet estava começando a reagir no campeonato.

Fonte: Divulgação/Internet

Mas a chuva insistia em cair no circuito e, sendo assim, a direção de prova foi obrigada a determinar o adiamento da mesma para a segunda-feira, seguinte, dia 06/05.

Fonte: Divulgação/Internet

Após a largada, Elliott se manteve firme na liderança da prova, enquanto, por várias vezes, sofria pressão direta de Joey Logano (22) e também de Kyle Larson (42).

Rick Stenhouse Jr. (17) vai para o muro e causa uma bandeira amarela, neutralizando a prova e levando os ponteiros para os boxes, para reabastecimento e troca de pneus.

Após trocar apenas 2 pneus, Joey Logano (22) volta na frente, segura firme a liderança da prova e cruza na frente a linha de chegada e vence o primeiro segmento da competição.

Brad Keselowski (2), Chase Elliott (9) e Kevin Harvick (4) lutam pela liderança da prova, e o que se vê é uma grande aproximação de Martin Truex Jr. (19).

Depois da parada nos boxes, Alex Bowman (88) ultrapassa Chase Elliott e assume a liderança da prova, até ver de perto o carro de Truex, que o ultrapassou para vencer o segundo estágio da prova.

Fonte: Divulgação/Internet

Na volta 264, Danny Hamlin (11) perde o controle do carro, roda na pista e provoca mais uma bandeira amarela.

Fonte: Divulgação/Internet

Ao fim, dominando a parte final da prova e resistindo a tudo e a todos, Martin Truex Jr. (19), mais líder do que nunca, recebeu na frente a bandeira quadriculada, vencendo a etapa de Dover. 

Fonte: Divulgação/Internet

Na segunda colocação chegou o piloto do Chevrolet Camaro nº 88, Alex Bowman e, em terceiro, atingiu a meta Kyle Larson (42).

Fonte: Divulgação/Internet

Esta havia sido a segunda vitória de Truex na temporada 2019, firmando o mesmo na luta pelo título e deixando claro para todos que já havia se adaptado a nova equipe de Joe Gibbs.

Kevin Harvick e Kyle Busch, ao final da prova, comentaram a dificuldade de guiar o carro durante aprova, por entenderem que os mesmos estavam aerodinamicamente instáveis quando da aproximação dos demais competidores, o que dificultava as iniciativas de ataque para a conquista de posições na pista.

Fonte: Divulgação/Internet

Busch ainda foi além, dizendo que tinha nojo deste novo pacote da NASCAR, mas que sabia que seus apelos não seriam atendidos pelos dirigentes da categoria.

Descontentamentos e reclamações de pilotos à parte, Dover ficou no retrovisor e era hora de seguir o campeonato, já no dia 12/05, no oval de 1,5 milhas do Kansas, no estado que lhe emprestou o nome.

A posição de honra no grid de largada da prova, mais uma vez este ano, foi conquistada pelo piloto do Ford Mustang nº 4 da equipe Stewart Haas Racing, Kevin Harvick.

Fonte: Divulgação/Internet

Diversos carros falharam na inspeção após a classificação, sendo seus pilotos obrigados a partir do final do pelotão, dentre eles, Aric Almirola (10), Joey Logano (22), Daniel Suarez (41), Kyle Larson (42) e Martin Truex Jr. (19).

Fonte: Divulgação/Internet

Harvick manteve a liderança depois da largada, perdendo-a apenas durante o primeiro pit stop, que aconteceu na volta 30, em virtude de uma bandeira amarela de competição, uma vez que vários pilotos trocaram apenas 2 pneus e o líder passou a ser William Byron (24).

Ainda assim, depois de ter relargado de forma espetacular partindo apenas na décima posição, Harvick recupera a liderança da prova na volta 52, para vencer de forma tranquila o primeiro segmento da prova.

Fonte: Divulgação/Internet

Naquele instante, as nuvens escuras que rodeavam o circuito passou a ser uma preocupação de pilotos e equipes, por conta da possibilidade de chuva.

Embora Harvick tenha dominado grande parte de um segundo segmento bastante apagado, este, a 15 voltas do final, acabou sendo ultrapassado por Chase Elliott (9) que, ao fim, acabou por vencê-lo.

Forte novamente na última parte da prova, Harvick, por conta de um grande detrito na entrada de ar para o motor de seu carro, foi obrigado a ir para os Boxes, caindo para a 27° posição e perdendo uma volta com relação ao líder que, naquele momento, passou a ser Alex Bowman (88).

Fonte: Divulgação/Internet

Um pneu descontrolado de Ryan Newman (6) nos pits, causou nova bandeira amarela e, enquanto Kyle Busch (18) parecia estar ocupando a liderança, chega a notícia de sua punição por ter cruzado antecipadamente a área dos pits.

Ryan Blaney (12) causa outra amerela, em decorrência de um pneu furado, fazendo com que Harvick, que já vinha pela 14° colocação, conquistasse o free pass e recuperasse a volta perdida.

Foi neste final de prova que o piloto do Ford Mustang nº 2 da equipe de Roger Penske, Brad Keselowski, começou a aparecer, ultrapassando Chase Elliott (9) e, logo depois Alex Bowman (88), para assumir a liderança da prova.

Nem mesmo a bandeira amarela ocorrida a 4 voltas do final, por conta de problemas com Matt DiBenedetto (95) e que trouxe um overtime, foram suficientes para afastar de Keselowski a conquista de sua terceira vitória nesta temporada.

Após a relargada, em que pese a pressão dos demais, Brad Keselowski (2) se manteve firme e cruzou na frente a linha de chegada, vencendo bravamente a etapa do Kansas e conquistando seu terceiro triunfo nessa temporada.

Fonte: Divulgação/Internet

Na segunda colocação completou a prova Alex Bowman, com seu Chevy Camaro nº 88 e, em terceiro, atingiu a meta o jovem piloto da Gibbs, Erik Jones (20).

Assim, a este ponto do campeonato, Brad Keselowski (2) e Kyle Busch (18) contavam com três vitórias cada um, enquanto Martin Truex Jr. (19) e Danny Hamlin (11) contavam com duas vitórias cada e Joey Logano (22), assim como Chase Elliott (9) já haviam faturado apenas um triunfo cada.

Em que pese as emoções vividas, muitas provas ainda estavam por vir, mas isso é assunto para a próxima parte (4) da retrospectiva do PLANETA VELOCIDADE.

Voltamos em breve.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira
Twitter: @alexleonello
Fonte destaque Divulgação/Internet

3 Responses

  1. Sobre a parte 3, vou repetir o comentário da parte 2:

    Ótima matéria…como sempre! É o já conhecido padrão “Alex Leonello de qualidade”, ou seja: fatos verídicos, sem mi-mi-mi, comentários tendenciosos ou dor de cotovelo. Parabéns equipe do Planeta, vocês são fo**
    Go, go #4 e #18…. #penskeonthewall

  2. Um adendo: Estendo meus parabéns ao amigo Francisco Lins Brasil. Apesar de eu odiar a Penske, tenho um carinho enorme pelo amigo. A propósito, continue assim…Cérebro!

    Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *