Nas- Últimas Notícias

Retrospectiva NASCAR 2019 – Parte 7 (Bristol II, Darlington e Indianápolis).

Restavam apenas 3 provas para o término da fase regular da NASCAR e várias vagas nos playoffs ainda aguardavam para serem definidas, como pode ser visto através do link RETROSPECTIVA NASCAR 2019 – PARTE 6 (POCONO II, WATKINS GLEN E MICHIGAN).

Muitos pilotos dependiam de uma vitória para que conseguissem entrar nesta fase decisiva e nenhum outro resultado lhes interessava que não o triunfo.

Para aqueles que já estavam classificados, restava a intenção de conquistar segmentos e mais vitórias a fim de obterem uma situação mais folgada para continuarem vivos na disputa pelo título que não tardaria acontecer.

E o palco da 24ª etapa não poderia ser mais imponente que o coliseu de Bristol, um lendário circuito oval de apenas 0,5 milha de comprimento que se situa no estado norte americano do Tennessee.

Fonte: Divulgação/Internet

Denny Hamlin (11) fez o melhor tempo nos treinos classificatórios e conquistou a honra de largar na primeira posição do grid.

Com a bandeira verde acionada na pista, e Hamlin conseguiu inicialmente manter o seu Toyota Camry na liderança, até que a primeira amarela veio na volta 79, após um contato ocorrido na pista entre Jimmie Johnson (48) e Austin Dillon (3), bem na sua frente.

Fonte: Divulgação/Internet

A liderança da prova passa para as mãos de Kyle Larson (42) que, após enfrentar um grande duelo com Chase Elliott (9), termina por se manter na posição e conquistar a vitória no primeiro estágio da competição.

A segunda parte da prova ocorreu de forma mais tranquila e, sob a liderança de Martin Truex Jr. (19), Clint Bowyer (14) perde o controle do carro e roda na pista, provocando mais uma bandeira amarela.

Fonte: Divulgação/Internet

Ao fim, o segundo segmento da prova restou vencido pelo campeão Kurt Busch (1), que resistiu bravamente os ataques de Daniel Suarez (41), a bordo do carro que era seu na temporada passada.

A bandeira amarela seguinte ocorreu na volta 377, após um problema ocorrido com o carro de Ryan Blaney (12), que acabou por causar um acidente que envolveu também os pilotos Rick Stenhouse Jr. (17), David Ragan (38) e Michael McDowell (34).

Fonte: Divulgação/Internet

Começou aí um dos finais mais épicos do ano, quando Matt DiBenedetto (95), que surpreendeu a todos durante a temporada da NASCAR Monster Cup deste ano, assumiu a liderança e conseguia se manter firme na mesma.

Fonte: Divulgação/Internet

Contudo, em que pese a torcida de todos pela conquista desta vitória, o pole position Denny Hamlin passou a descontar rapidamente a diferença que DiBenedetto possuía para si, até aproximar-se perigosamente do Toyota Camry nº 95 que liderava a prova.

Restando apenas 11 voltas para o final, quando Denny Hamlin, finalmente completa a ultrapassagem e reassume a liderança da prova, para a desolação geral.

Fonte: Divulgação/Internet

Sem ser mais alcançado, Denny Hamlin (11), que havia largado na pole position, cruza na frente a linha de chegada e conquista a sua quarta vitória nesta temporada.

Na segunda colocação, absolutamente desolado, cruzou Matt DiBenedetto (95) e, em terceiro, concluindo o top 3, completou a prova o piloto do Ford Mustang nº 2 da equipe Penske, Brad Keselowski.

Fonte: Divulgação/Internet

Ao fim, enquanto Denny Hamlin dava entrevista para a TV norte-americana NBC, por conta da vitória, Matt DiBenedetto foi cumprimentá-lo pela conquista, e, sem resistir, chorou a perda da vitória junto a seu “algoz”, para comoção geral.

Fonte: Divulgação/Internet

Depois deste final épico, a NASCAR Monster Cup merecia uma folga e, depois de uma semana de descanso, retornou, no dia 01/09, para a disputa de sua 25ª etapa, no tradicionalíssimo oval de 1,366 de Darlington, carinhosamente apelidado de “a dama de preto”.

Com seus esquemas de pintura retrô e realizado no final de semana que antecedia o feriado nacional do dia do trabalho nos Estados Unidos (labor day), a festa era garantida.

Estas pinturas foram devidamente anunciadas pelo PLANETA VELOCIDADE, dias antes da realização da prova, como é possível conferir através do link NASCAR – O SHOW DOS ESQUEMAS DE PINTURA RETRÔ PARA A ETAPA DE DARLINGTON.

Com um grande trabalho realizado nos treinos classificatórios do final de semana, a pole position ficou por conta do jovem piloto William Byron, a bordo do seu Chevrolet Camaro nº 24 da equipe de Rick Hendrick.

Fonte: Divulgação/Internet

Como já havia acontecido em outras oportunidades desta temporada, a chuva resolveu das as caras em Darlington e, diga-se de passagem, caiu um mundo de água sobre a pista, em uma situação que antecedia a esperada chegada de um furacão naquela região dos Estados Unidos, já no dia seguinte.

Fonte: Divulgação/Internet

Com isso, era necessário que a prova ocorresse ainda naquela data e, mesmo com cerca de 3 horas de atraso, a pista havia sido seca e os pilotos recebiam a ordem de ligar os motores de seus carros.

Fonte: Divulgação/Internet

Com a bandeira verde finalmente agitada, foi dada a largada e William Byron é logo ultrapassado por Brad Keselowski (2), que assume a liderança.

Pouco depois foi a vez de Kurt Busch (1) ultrapassar Keselowski para assumir a liderança.

A primeira bandeira amarela provocada por acidente veio com a rodada de Garrett Smithley (54), fazendo com que os ponteiros buscassem os boxes novamente.

Chase Elliott (9) relarga na frente, mas é logo ultrapassado por Kurt Busch que, sem maiores ameaças, recebe na frente a bandeira quadriculada verde e branca, vencendo o primeiro segmento da prova, com o heptacampeão Jimmie Johnson (48) na segunda colocação.

A bandeira verde foi acionada novamente com Kyle Larson (42) na primeira colocação e, já na volta 140, Ryan Newman (6) roda após sofrer um toque de Daniel Suarez (41), provocando uma nova bandeira amarela.

Fonte: Divulgação/Internet

Corey Lajoie (32) também causou uma nova bandeira amarela, após rodar na pista.

Fonte: Divulgação/Internet

Após as paradas nos boxes, Kyle Busch (18) retorna à pista o líder.

BJ McLeod (51) ainda encontra tempo para acertar o muro e causar uma nova amarela na volta 198 fazendo com que os pilotos simplesmente conduzissem seus carros até a linha de chegada, para finalizar o segundo estágio da competição, vencido por Kyle Busch, seguido de seu irmão mais velho, Kurt Busch.

A última parte da prova teve início com Kyle Busch na liderança e passou por um longo período sem intercorrências, obrigando os pilotos a fazerem suas paradas. Bandeira verde quando restava aproximadamente 100 voltas para o final.

Na volta 275, Daniel Henric (8) roda e causa um grande acidente, envolvendo os pilotos Michael McDolwell (34), Denny Hamlin (11), William Byron (24).

Fonte: Divulgação/Internet

Nos pit stops, Kyle Larson volta como líder, mas é ultrapassado por Erik Jones (20), com quem trava uma bela e emocionante batalha.

Fonte: Divulgação/Internet

Uma nova rodada de pit stops se deu sob bandeira verde.

Resistindo bravamente aos ataques de ambos os Kyles (Busch e Larson), Erik Jones seduz a dama de preto e segue firme para vencer as Southern 500, carimbando seu passaporte para os playoffs da categoria.

Fonte: Divulgação/Internet

Na segunda colocação concluiu a prova o piloto do Chevrolet Camaro nº 42 da equipe de Chip Ganassi, Kyle Larson e, em terceiro, cruzou a linha de chegada o campeão Kyle Busch, com seu Toyota Camry nº 18.

Fonte: Divulgação/Internet

Com este resultado, restavam apenas 2 vagas nos playoffs e muitos pilotos com reais condições de ocupa-las, mas sob constante ameaça de ficarem de fora desta tão sonhada briga pelo título.

Mas a luta seria árdua e não poderia ocorrer em lugar mais especial que o Indianapolis Motorspeedway, um grande oval com 2,5 milhas de extensão que se localiza no estado norte americano de Indiana, considerado como o templo do automobilismo mundial.

Assim, no dia 08/09 os carros da Monster Energy NASCAR Cup Series entraram na pista para a disputa de sua 25ª etapa, a última da fase regular e não era difícil prever que iria sair faísca.

A pole position ficou por conta do piloto do Ford Mustang nº 4 da equipe Stewart-Haas Racing, o campeão Kevin Harvick.

Fonte: Divulgação/Internet

Com a largada, Harvick se manteve firme na liderança, abrindo significativa vantagem sobre o segundo colocado, Joey Logano (22)

Com uma bandeira amarela acionada por conta de um toque no muro por parte do piloto mexicano Daniel Suarez (41), a maioria dos pilotos buscou os boxes para reabastecimento e troca de pneu, quando então aconteceu um grande entrevero na área dos pits, envolvendo os pilotos, Rick Stenhouse Jr (17), Martin Truex Jr. (19), Chase Elliott (9), Ryan Preece (47) e Bubba Wallace (43), sem contar no fato de que um dos mecânicos de Jimmie Johnson (48) quase foi atropelado

Fonte: Divulgação/Internet

Com a bandeira verde novamente acionada, Harvick sofre grande pressão dos pilotos da Penske pela liderança, até que Landon Cassil (00) estampa o muro e causa nova bandeira amarela.

Fonte: Divulgação/Internet

A amarela seguinte se deu enquanto restavam apenas 2 voltas para o final do segmento, quando, após um toque com Erik Jones (20), Brad Keselowski (2) deu adeus a prova ao ir parar seu Ford Mustang da equipe Penske junto aos pneus de proteção a pista.

Fonte: Divulgação/Internet

Diante das estratégias adotadas, este primeiro segmento de prova restou vencido por Kyle Larson, a bordo de seu Chevrolet Camaro nº 48.

Após um longo período de espera, a prova é reiniciada com Harvick na liderança e, um tempo depois, Kyle Busch abandona a prova por conta de um incrível estouro de motor.

Fonte: Divulgação/Internet

Ainda assim, em que pese algumas alternâncias de liderança, Kevin Harvick (4) cruza na frente e conquista a vitória no segundo estágio da competição.

Fonte: Divulgação/Internet

Já na relargada a esperança de classificação nos playoffs por parte do heptacampeão Jimmie Johnson vai pelos ares, tendo em vista que o mesmo se envolveu em um acidente após disputas travadas com seu companheiro de equipe Hendrick, William Byron (24).

Mas não tinha para mais ninguém e o final de semana era mesmo do campeão da temporada de 2014, Kevin Harvick que, resistindo a tudo e a todos, recebe na frente a bandeira quadriculada preta e branca para vencer no super oval de Indianápolis, o maior templo do automobilismo mundial.

Fonte: Divulgação/Internet

No segundo posto completou a prova o atual campeão da categoria, Joey Logano (22) e, em terceiro, em um excelente resultado pessoal, atingiu a meta Bubba Wallace (43).

Fonte: Divulgação/Internet

Desta forma, após realizadas as 26 etapas iniciais, Kyle Busch (18), Martin Truex Jr. (19) e Denny Hamlin contavam com 4 vitórias cada um, enquanto Brad Keselowski (2) e Kevin Harvick (4) tinham 3, Joey Logano (22) e Chase Elliott (9) possuíam 2 triunfos e Alex Bowman (88), Kurt Busch (1) e Erik Jones (20) contavam com uma conquista cada um, sem falar na vitória que Justin Haley (77), piloto regular da Xfinity Series conseguiu em Daytona.

Com estes resultados, estava encerrada a fase regular da Monster Energy NASCAR Cup Series, tendo o piloto do Toyota Camry nº 18 da equipe de Joe Gibbs, Kyle Busch sido declarado o campeão da mesma.

Fonte: Divulgação/Internet

Da mesma forma, com o término desta fase, restou definida a lista dos 16 nomes que participariam do Round of 16 nos playoffs, quais sejam:

01 – Kyle Busch (18) – 2.045 pontos;

02 – Denny Hamlin (11) – 2.030 pontos

03 – Martin Truex Jr. (19) – 2.029 pontos;

04 – Kevin Harvick (4) – 2.028 pontos;

05 – Joey Logano (22) – 2.028 pontos; 

06 – Brad Keselowski (2) – 2.024 pontos;

07 – Chase Elliott (9) – 2.018 pontos;

08 – Kurt Busch (1) – 2.011 pontos;

09 – Alex Bowman (88) – 2.005 pontos;

10 – Erik Jones (20) – 2.005 pontos;

11 – Kyle Larson (42) – 2.005 pontos;

12 – Ryan Blabey (12) – 2.004 pontos;

13 – William Byron (24) – 2.001 pontos;

14 – Aric Almirola (10) – 2.001 pontos;

15 – Clint Bowyer (14) – 2.000 pontos; e

16 – Ryan Newman (6) – 2.000 pontos.

Fonte: Divulgação/Internet

Esta primeira fase dos playoffs, o round of 16, contaria com 3 provas eliminatórias, que foram disputadas e, Las Vegas, Richmond e Charlotte, mas que serão assunto a ser tratado na parte 8 da retrospectiva do PLANETA VELOCIDADE.

Voltamos em breve.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira
Twitter: @alexleonello
Foto destaque Divulgação/Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *